Matéria: As complicações no trânsito na Avenida Beira – Mar

Proibição do Tráfego dos ciclistas no calçadão

Jefferson Abreu

Mesmo com a proibição é comum ciclistas andarem no calçadão da Beira Mar. Marcílio Soares, que é chefe de operações da AMC, afirma que os agentes trabalham com dificuldades, pois são várias pessoas que utilizam bicicletas no calçadão. “Um passa oferecendo a merenda, outro traz o suco e água de coco. Há também produtos de limpeza. E assim funciona o comércio sobre duas rodas na Avenida Beira Mar”, afirma Soares .

O tráfego de bicicletas é proibido no calçadão, conforme prevê o Código de Trânsito Brasileiro. Os freqüentadores da orla vêm dividindo espaço com os ambulantes, ciclistas e com pessoas que utilizam a bicicleta apenas para passeio ou realizar uma atividade física.

Os coopistas pedem maior fiscalização para que o trajeto seja concluído sem riscos. A Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e Cidadania, admite ter dificuldades para fazer cumprir a legislação, pois o número de agentes é bem inferior ao que deveria ser, porém a AMC acredita que a situação seja resolvida depois da contratação de novos agentes, que irão fazer a prova no final do mês.

A AMC alega que o efetivo é reduzido e quando existe uma fiscalização para garantir o Projeto Passeio Seguro, os agentes contam com a ajuda da guarda municipal. Alguns ciclistas infratores afirmam que utilizam o calçadão por que não existe uma fiscalização, mas estão cientes que estão errados.
Mesmo com tantas dificuldades, depois que criaram o Projeto Passeio Seguro, os agentes da AMC já apreenderam mais de 300 bicicletas, que hoje estão no pátio da sede da AMC.

Raimundo Nonato, de 38 anos, é morador do Mucuripe e vai de bicicleta para o calçadão, e aproveita o movimento para vender coco. O ambulante diz que sabe da proibição, mas utiliza o calçadão por que é mais seguro. ”Sempre passo devagar quando não ando devagar estou empurrando a bicicleta, com isso fica difícil ocorrer um acidente” afirma o ambulante.

Além dos ambulantes, os pedestres também dividem o espaço com aquelas pessoas que saem de casa para passear, como é o caso do aposentado Fernando Silva, todos os dias ele sai de casa às 6 horas da manhã para dar um passeio de bicicleta, mas acaba utilizando o calçadão. Quando falamos da proibição, aposentado não gostou e explicou que vai continuar utilizando o local até que haja uma fiscalização.

O QUE DIZ A LEI

Três artigos do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) disciplinam o tráfego
ciclístico. A penalidade para quem descumprir as normas é uma medida
administrativa: remoção da bicicleta, mediante recibo para o pagamento de
multa. A AMC informa que caso recolha alguma bicicleta, o proprietário deve
comparecer à sede, na Avenida Aguanambi, portando identidade, nota fiscal
da bicicleta ou boletim de ocorrência informando a perda da nota, e recibo do
recolhimento. Logo em seguida, será assinado um termo de ajustamento de conduta.

FÉRIAS NO CALÇADÃO DA BEIRA MAR

Luzianne Freire

Um calçadão espaçoso, cheio de gente bonita, muito lazer e água de coco, é assim que o estado faz questão de apresentar um dos principais cartões postais de Fortaleza: a Avenida Beira Mar. Mas será que este é o pensamento dos cearenses? O período das férias mal começou, mas a segurança é a primeira preocupação de quem anda por lá.
A universitária Isabella Rodrigues, diz que se sente insegura ao passar por lá, “tenho medo em andar na Beira Mar. Quando vou, passeio da maneira mais simples, sem relógio ou qualquer objeto de valor” afirma universitária. No caso da arquiteta Juliana Ribeiro, não são só os roubos que ela se preocupa, mas sim a falta de ciclovias. “As bicicletas ficam andando nas calçadas e as pessoas se vêem obrigadas a andar nas ruas”, conclui a arquiteta .

Segundo o Coronel Sergio Costa do Comando de Policiamento da Capital (CPC), nas férias está previsto um projeto especial garantindo a segurança no calçadão, tanto do público local como de fora. “Hoje já se encontra na avenida policial a pé, a cavalo, em segway, com cães, nas motos e em carros. Já na alta estação prevê um reforço no número destes agentes”.

Mas fique atento, vale lembrar que as dicas continuam as mesmas: não andar com objetos que chamem atenção ou que tenham valor, prestar atenção ao redor e evitar andar em pontos que estejam desertos. “A segurança não é dever só nosso,o próprio cidadão tem que colaborar” explica o Coronel Sergio.

Interdição das vias

Mirella Garcia

A carência de vias exclusivas para bicicletas, tem gerado transtornos para motoristas e ciclistas, em Fortaleza.

Na Avenida Beira-Mar, o espaço é bem limitado por cones, o que torna um lugar disputado por ciclistas e coopistas.

De acordo com os usuários que utilizam o espaço, a maioria das vias é subutilizada devido à insegurança ou com a falta de infra-estrutura dos espaços.

Para quem utiliza a bicicleta todos os dias como meio de transporte para trabalhar ou para a prática de esporte, sente que muitos motoristas não respeitam o ciclista e nem os pedestres.

O poder público criou uma alternativa para a avenida Beira-Mar. Todos os dias, entre cinco e oito horas da manhã, 600 cones são distribuídos ao longo de três quilômetros da Avenida. Os cones restringem uma das faixas a coopistas e ciclistas e são dispostos em fila a um metro e meio do meio fios do calçadão, de modo a oferecer maior segurança para os praticantes do Cooper e ciclistas.

Mas dessa maneira o pequeno e único espaço fica disputado para quem vai andar, correr, pedalar ou até mesmo andar de patins.

Para alguns usuários o espaço é um benefício, pois o horário disponível é interessante para quem gosta da prática de atividades esportivas e de fazer Cooper bem cedo e antes de ir para o trabalho. Para a publicitária, Luciane Ribeiro, que faz Cooper duas vezes por semana, a pista tem sido um lugar seguro. “Correr no meio da rua é muito arriscado, com essa mudança torna-se uma proteção para todos nós”, diz a publicitária.

Já para outros a utilização dos cones tem sido um problema. Pois o pequeno espaço destinado a ciclistas e pedestres tem sido bastante disputado entre eles. O outro problema é o engarrafamento. Com o fechamento da Avenida Beira-Mar entre as cinco e oito horas para a prática de Cooper e do ciclismo tem se tornado uma dor de cabeça para quem trabalha ou reside na área. Os passeios dos ônibus de turismo começam às 7 horas da manhã, e vem causando engarrafamento e congestionamentos por duas horas no local.

Segundo, a estudante Francielle Bezerra, a mudança prejudica o tráfego de carros durante o dia, e principalmente para os moradores que precisam se deslocar para a faculdade ou para o trabalho.

Para o motorista, Paulo Roberto, a pista para os carros tornou-se muito estreita e isso já está causando congestionamento na avenida, o ideal seria fazer um novo planejamento na área.

A instalação dos cones e a divisão da pista foi um fruto de uma autorização conjunta da Autarquia Municipal de Trânsito, Serviços Públicos e de Cidadania de Fortaleza e a Secretaria Executiva Regional II. A assessoria de imprensa da AMC informou que ainda não chegou ao órgão nenhuma reclamação e que o serviço não sofre nenhuma ameaça de ser interrompido. E se houver alguma reclamação é necessário que o usuário se encaminhe à secretária de esporte e faça a sua reclamação. A autarquia Municipal de Trânsito também orienta aos ciclistas e coopistas a deslocarem-se para outros lugares, para solucionar o problema e de modo a oferecer maior segurança para os praticantes do Cooper. A AMC, ainda afirma que há a sugestão de ciclovia da Avenida Washington Soares e a via expressa.

De acordo o coordenador do Programa de Transporte de Fortaleza (Transfor), Daniel Lustosa, em toda a capital cearense, há apenas 51,7 quilômetros de ciclovias, mas a idéia é construir, até 2010. Em todo o programa será implantado 30 quilômetros de ciclovias, que irá somar a 65 quilômetros já existente, ao final do programa irá ter no total 100 quilômetros em todo o município. Segundo o coordenador do Programa, há 10 obras em curso, mas não só de ciclovias, estão sendo feitos 164 quilômetros de calçadas novas, drenagem e pavimentação em oito vias. Haverá três ciclovias: na Avenida Sargento Hermínio e na Humberto Monte e Bezerra de Menezes.

A primeira etapa deve terminar em julho de 2010.

Contatos:

Assessoria AMC

Kerla Alencar

3433.97.00 /8814.8293

Transfor- Programa de Transporte de Fortaleza

Coordenador do Programa, Daniel Lustosa.

3105.2710 / 8814.8161


O uso de “Segway”

Leon Lopes

O governo do Estado foi a primeira instituição pública do Ceará a adquirir os patinetes motorizados Segway, para o patrulhamento da Avenina Beira-Mar. Agora chegou a vez dos civis mostrarem que também aderiram a idéia.

Criado pelo inventor americano Dean Kamem, o Segway, ou transportador de pessoas, é um equipamento de alta tecnologia que utiliza um conjunto de microprocessadores e um motor para simular o mesmo princípio que faz o corpo humano para se manter em pé. Ele é considerado pelo seu inventor como “a invenção que vai mudar o mundo”. Mas com o modelo Segway X2, de segunda geração, custando a quantia de R$29mil reais, parece que o mundo precisará mudar primeiro antes que a profecia de Kamem se realize. A vantagem para a minoria que têm condições de comprar um “brinquedinho” desses, é que poderá se locomover sobre o calçadão da Avenida Beira-Mar, sem ser incomodado pelos agentes da Autarquia Municipal de Transito, Serviços Públicos e de Cidadania (AMC), pois o Código de Trânsito não considera a Segway um veículo, não sendo possível o controle legal sobre o mesmo.

O presidente AMC, Flávio Patrício, afirma que não há como proibir o uso de patins, skates e patinetes elétricos, restando apenas a restrição do tráfego de bicicletas sobre o calçadão. Fato que por sua vez tem incomodado os ciclistas que passam a ter que disputar espaço com os carros. Para o presidente da AMC, o problema na Beira-Mar não é de legislação, mas um reflexo da “má educação do fortalezense, que igualmente se pode verificar no trânsito, nas vias públicas e outros procedimentos sem compromissos com a cidadania”.


A frase de Patrício parece encontrar eco no pensamento do célebre escritor francês, Jules Michelet (1798-1874), que afirmava que “um sistema de legislação nunca terá poder se não colocarmos ao lado um sistema de educação.” No entanto, as ações dos órgãos de trânsito parecem priorizar a punição, pois, por mês, a AMC recebe a quantia de R$ 1.800.000 em dinheiro que, segundo a Autarquia, é aplicada na instalação e manutenção de semáforos, sinalização das ruas e campanhas de educação. Resta saber de que forma estão sendo realizadas essas campanhas de educação e se as mesmas estão surtindo algum efeito. Algumas instituições privadas já descobriram, priorizar o foco no problema nem sempre conduz à solução. A ênfase dada às relações de consumo e a uma cultura que privilegia o individualismo é, sem dúvida, um dos grande desafio para o gerenciamento da vida nas sociedades capitalistas modernas e para o exercício da cidadania.

Matéria: As complicações no Trânsito na Avenida Beira-Mar

Tema: As complicações no Trânsito na Avenida Beira-Mar

Repórteres:

Jefferson Abreu-  Pauta – Proibição do tráfego dos ciclistas no calçadão

Mirella Garcia – Pauta – Interdição das vias ( Cones na av. Beira-Mar)

Luziane Freire – Pauta- Segurança na Avenida

Leon Lopes- Seg way ( uso de patinetes )

OBS: Sujeito a alterações

EDITOR

Denise Santiago – Revisão das matérias

Uma vida Virtual… Você acredita nisso?

O Second Life pode ser considerado um jogo que simula alguns aspectos da vida real. Nele, o participante pode interagir com outros, transportar-se para várias cidades e países. O ambiente é todo virtual e tridimensional. Devido a interação o internauta passa a conhecer diversas pessoas pelo mundo inteiro, além de fazer novas amizades, o usuário pode também realizar compras, acessar bancos, manter uma vida “ normal”. Second Life em inglês significa “ segunda vida”. A pessoa passa a vivenciar tudo que ela deseja e que não pode ser adquirido na vida real. O internauta passa a ter uma “segunda vida” jogando. A cada dia, o número de usuário aumenta, isso faz com que esse ambiente virtual passe a ser um dos jogos mais acessados pela intenet.

O mundo virtual Second Life foi criado pela empresa americana de Internet Linden Lab. A empresa tem sede em São Francisco e foi fundada em 1999, hoje tem mais de 200 funcionários em todo o mundo.  Hoje, esse mundo virtual já pode ser acessado em celulares conectados à banda larga larga ( 3G ou Wi-Fi) através de um programa desenvolvido pela empresa israelense Vollee.

 

http://br.youtube.com/watch?v=y7TMQzzFFdQ

Será que é um bom negócio?

A procura por aparelhos interligados a nova tecnologia, cresceu devido ao surgimento da TV Digital no Brasil. Com isso o consumidor precisa ficar bastante atento com essas novas mudanças e principalmente que faça uma boa escolha na hora de comprar seu aparelho.

Esse novo sistema de TV Digital irá melhorar a forma de exibição do conteúdo. O telespectador terá mais visibilidade, e mais, haverá uma interatividade e portabilidade, o consumidor poderá acessar a TV digital por celulares, computadores, laptops.

Por enquanto, o televisor com o sistema integrado de TV Digital, não pode ser uma boa opção para o consumidor, pois esses aparelhos de alta definição que estão sendo vendidos ainda não possuem a tecnologia que estabeleça uma interatividade, característica principal da TV Digital, por isso, podem ser ultrapassados rapidamente.

Como o preço dos aparelhos é bastante elevado, outra escolha, são os “conversores”, aparelhos ligados a TV que transmitem imagem em alta definição. Os conversores são mais baratos, do que os televisores com sistemas integrados, com isso os consumidores podem aderir aos aparelhos e entrar na era digital.

O consumidor deve pesquisar bastante o preço dos conversores que varia entre 500,00 a 1.300,00 reais, dependo da marca do aparelho.

Vale lembrar que a venda desses conversores, ainda não está disponível no mercado. Até maio de 2009, serão produzidos 28.526 conversores no país.

 

                       

Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
“quebrei a cara muitas vezes”!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi, e ainda vivo!
Não passo pela vida…
E você também não deveria passar!

Viva!
Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é “muito” pra ser insignificante.
Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas quando nunca pensei me decepcionar, mas também decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
“quebrei a cara muitas vezes”!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi, e ainda vivo!
Não passo pela vida…
E você também não deveria passar!

Viva!
Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é “muito” pra ser insignificante.

 

Charles Chaplin

Uma viagem inesquecível…..

Uma viagem diferente, até um pouco estranha para quem já está se formando, mas no final deu tudo certo. Os alunos ficaram surpresos quando professor informou que nós teríamos que ir a um passeio de trem, e mais, valendo nota… Valendo nota? Essa foi à surpresa de todos, ninguém entendia como iríamos passear de trem e ainda sermos avaliados por isso. Alguns reclamaram, outros apostaram na aventura.

Fiquei um pouco apreensiva, principalmente quando o vagão parou. Milhares de pessoas entravam e saíam ao mesmo, tudo era muito rápido. Não posso negar que sentir um pouco de medo, e não vou mentir: demonstrei isso para as pessoas ao meu redor. Era tudo muito novo, afinal, era a primeira vez que eu andava de trem.

Nada me agradou na paisagem, muito lixo, esgotos, mato sem fim, impossível perceber na janela daqueles vagões, algo de especial do lado de fora. Ah, imaginar seu príncipe encantado, estava fora de cogitação, o que você mais deseja é chegar logo no seu destino e sai daquela estação.

Nós seguimos a destino de Caucaia, na ida foi tranqüila fomos brincando, registrando cada momento, mas na volta nós tivemos um pouco de tensão. Havia alguns homens mal- encarados, não sei se nós nos precipitamos, ou se eles estavam dispostos mesmo a nos amedrontar. O medo foi aumentando e nada podíamos fazer, até que entre um suspiro e outro chegamos à Estação em Fortaleza. Ai graças! Agora, me perguntem: Você aceitaria outro passeio? Não a experiência foi ótima, não há necessidade de “repeat”.

 

 Estação Professor João Felipe

Notas Curtas – Web 2.0 e Blogjornalismo

 

 Direitos Autorais

O artista pode licenciar sua obra pelo Creative Commons. Ele permanece dono dos direitos sobre a sua criação. Há uma diferença, quando os criadores intelectuais transferem seus direitos para um intermediário. Nesse caso, o criador deixa de ser dono da sua obra.Quando uma banda musical, por exemplo, NX 0, licencia suas músicas pelo creative commmons, isso não impede, se o grupo aceitar, o lançamento de CDs com essas músicas por uma gravadora.

A idéia do Creative Commons é criar uma caixa de ferramentas para artistas e produtores de conteúdo intelectual de modo geral , por exemplo, foto, vídeo, texto, música, filme, onde eles possam dizer para a sociedade que não se importam com alguns usos da sua obra.

 

 Blogjornalismo

Blogjornalismo é a nova forma de jornalismo digital. Os jornalistas criam seu blog e publicam suas informações, o blog também pode atuar como um complemento à coluna

Os blogs se tornaram em uma nova forma de mídia alternativa, agregando informações oriundas de várias fontes, revelando diversos pontos de vista.

A característica principal dessa ferramenta é permitir que os usuários publiquem suas informações.

 

Blog Noblat

 

Ricardo Noblat é um dos jornalistas que se tornou um dos maiores “blogueiros”. Noblat põem as suas matérias no seu blog, e os internautas podem interagir complementando a informações de Noblat. O blog do jornalista está no ar desde março de 2004, fazendo a cobertura dos bastidores da política brasileira. 

http://oglobo.globo.com/pais/noblat/